Conheça o perfil dos candidatos que disputam a cadeira do Kremlin

Vladimir Putin

O atual primeiro-ministro, Vladimir Putin, de 59 anos, é o favorito em todas as pesquisas de intenção de voto nesta corrida presidencial. Foi indicado como presidente interino em 1999, substituindo Boris Ieltsin, e ganhou as eleições presidenciais em 2000, com 53,4% dos votos, sendo reeleito em 2004, com 71,9%. Em 2008, como não podia concorrer ao terceiro mandato, indicou Dmitry Medvedev, que saiu vitorioso com 71,2% dos votos. Putin foi indicado em 2008 para primeiro-ministro do país, cargo que ocupa hoje.

Durante a década de 80, foi agente da mítica KGB (polícia secreta soviética) na antiga Alemanha Oriental e é faixa preta de judô. A candidatura de Putin é apoiada pelo partido Rússia Unida, do qual ele é líder, apesar de não ser formalmente membro do mesmo. A popularidade de Putin chegou a 81% em junho de 2007, mas hoje é de aproximadamente 60%, segundo as últimas pesquisas.

Sob o comando de Putin, o país viveu um boom econômico, graças ao aumento do preço do petróleo e do gás no mercado internacional. A oposição acusa Putin de não ter conduzido o país pela via democrática. Em 2004Putin aboliu as eleições diretas para governador dos 83 “estados” da Rússia e também para o prefeito das duas cidades federais – Moscou e São Petersburgo. Putin recuperou para o Estado o controle da Gazprom, maior empresa exportadora de gás do mundo e maior empresa russa e passou a utilizar a companhia como arma política com os vizinhos europeus.

Adorado por uns por ser o defensor da Mãe Pátria e por ser respeito nos círculos internacionais, Putin é odiado pelos que veem com cautela o papel centralizador assumido por ele, aos moldes de um czar. Nos anos em que foi presidente, Putin aprovou leis que dificultam que o capital estrangeiro financie ONGs e também conseguiu que as três únicas televisões que cobrem todo o território da Rússia fossem, direta ou indiretamente, controladas pelo Estado.

Putin promete criar 25 milhões de postos de emprego nos próximos 20 anos (será que Putin já conta com a reeleição em 2018 e uma emenda constitucional que o permita ficar no poder indefinidamente?).

As eleições legislativas de dezembro de 2011 foram marcadas por inúmeras fraudes e falsificações e os russos foram às ruas em manifestações sem precedente na última década. No entanto, a falta de uma alternativa à liderança de Putin e o medo de uma instabilidade no país garantirão a vitória de Vladimir Putin. Segundo os principais institutos de pesquisa, o primeiro-ministro conta com pelo menos 60% de intenções de votos.

Guenady Zyuganov

O principal rival de Putin nas eleições deste domingo é o veterano politico Zuyganov, de 67 anos, líder do Partido Comunista da Federação Russa desde 1993. Zyuganov já concorreu outras três vezes à presidência, sempre chegando em segundo-lugar.

Sua campanha presidencial, baseada na crítica a Putin, parece ser a única oposição real ao Kremlin. O Partido Comunista conseguiu quase 20% dos votos nas legislativas de dezembro, mas ainda enfrenta a rejeição de uma grande parcela do eleitorado que associa o partido a um possível retorno à União Soviética.

O manifesto de Zyuganov promete restabelecer o investimento na indústria naval, no setor de defesa e na agricultura. O principal objetivo do partido é a nacionalização dos recursos naturais da Rússia e a contenção da influência da OTAN.

As pesquisas indicam que Zyuganov tem entre 11 e 15% de intenções de voto.

Vladimir Jirinovski

O fundador e líder do Partido Liberal-Democrata, de 65 anos, é considerado o showman da política russa, com uma retórica nacionalista, anti-Ocidente e sempre com um estilo agressivo de defender seu ponto de vista. Muito popular entre os eleitores mais jovens, o voto em Jirinovski é normalmente associado à falta de interesse na política ou a um voto de protesto, uma crítica ao circo eleitoral.

Em 2008, o candidato conseguiu 9% dos votos e deve repetir o índice neste domingo. Seu slogan para a campanha é “Vote Jirinovski ou as coisas ficarão pior” (estilo Tiririca, não?). Apesar do discurso aparentemente de oposição, o política é visto pela maioria dos analistas como leal ao Kremlin.

No seu programa político, promete resolver o problema da corrupção e do tráfico de drogas em dois anos, além de acabar com o desemprego e a imigração ilegal no país. Jirinovski defende uma Rússia centralizada e descreve a Grã-Bretanha como o principal inimigo histórico da Rússia, mas admite que os Estados Unidos foram o maior inimigo dos interesses do país no último século.

Sergei Mironov

Mironov, de 59 anos, ainda é visto como um antigo aliado do partido governista Rússia Unida, apesar de se apresentar como oposição. Em 2004, declarou que votaria em Putin mesmo sendo ele (Mironov) um dos candidatos à presidência.

Em 2006, criou o partido de centro-esquerda Rússia Justa, oficialmente o maior partido de oposição do país, mas sempre leal ao Kremlin. Em 2011, Mironov perdeu o posto de porta-voz do Conselho Federal Russo, que ocupava há quase 10 anos. A lealdade ao Kremlin foi deixada de lado e Mironov passou a criticar Vladimir Putin.

Mironov defende a nacionalização dos recursos minerais da Rússia e garantias sociais aos aposentados. O candidato conta com 5% das intenções  de votos.

Mikhail Prokhorov

Mais jovem dos candidatos, com 46 anos, e queridinho da classe média urbana, Prokhorov é um bilionário de mais de 2 metros de altura, terceiro homem mais rico da Rússia segundo a revista Forbes e concorre sem sigla partidária. Apesar de carismático e midiático, não conta com apoio popular devido a sua posição de oligarca, ainda vista com receio pela maioria dos russos. Entre 4 e 6% dos eleitores apoiam a sua candidatura.

Prokhorov evitou criticar Putin durante a campanha e prometeu reformas políticas, incluindo a redução do mandato presidencial (que Putin alterou de quatro para seis anos), além da restauração das eleições diretas para governadores regionais.

Prokhorov é o solteiro mais cobiçado da Rússia e prometeu se casar caso ganhe as eleições. Foi o único candidato a criticar a lei anti-propaganda gay aprovada na semana passada em São Petersburgo.

Esse post foi publicado em Política, Uncategorized e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Conheça o perfil dos candidatos que disputam a cadeira do Kremlin

  1. Mateus Nagime disse:

    Hahaha tá difícil a escolha hein. Estrangeiros que moram aí podem votar não né? Cadê o Gorbatchev? rs ele ainda exerce algum poder de opinião aí? Se manifestou de alguma forma nestas eleições??

  2. Mariana disse:

    Infelizmente faltam candidatos pra fazer face ao Putin…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s